Empresas das carteiras do ISE

2017/2018

A mais recente carteira do ISE B3 foi anunciada em 23/11/2017 e vigora de 08 de janeiro de 2018 a 04 de janeiro de 2019. A nova carteira do índice reúne 33 ações de 30 companhias. Além disso, representa 12 setores e soma R$ 1,28 trilhão em valor de mercado. Esse montante equivale a 41,47% do total do valor das companhias com ações negociadas na B3, com base no fechamento de 21/11/2017. Saiba mais

Fazem parte da carteira:

AES Tiete, B2W, Banco do Brasil, Bradesco, Braskem, CCR, Celesc, Cemig, Cielo, Copel, CPFL, Duratex, Ecorodovias, EDP, Eletropaulo, Engie, Fibria, Fleury, Itaú Unibanco, Itaúsa, Klabin, Light, Lojas Americanas, Lojas Renner, MRV, Natura, Santander, Telefônica, Tim, Weg

Acesse aqui as respostas das empresas.

 

2016/2017

A 12ª carteira do ISE B3 foi anunciada em 24/11/2016 e vigorou de 02 de janeiro de 2017 a 05 de janeiro de 2018. A carteira reuniu 38 ações de 34 companhias, representando 15 setores e somando R$ 1,31 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 52,14% do total do valor das companhias com ações negociadas na Bolsa com base no fechamento de 22/11/2016. Saiba mais

Fizeram parte da carteira:

AES Tietê, B2W, Banco do Brasil, Bradesco, Braskem, BRF, CCR, Celesc, Cemig, Cielo, Copel, CPFL, Duratex, Ecorodovias, EDP, Eletrobras, Eletropaulo, Embraer, Engie*, Fibria, Fleury, Itaúsa, Itaú Unibanco, Klabin, Lojas Americanas, Lojas Renner, Light, MRV, Natura, Santander, SulAmerica, Telefônica, TIM, Weg

*Tractebel altera razão social para Engie em 21/07/2016

Acesse aqui as respostas das empresas.

 

2015/2016

Anunciada em 26 de novembro de 2015, a 11ª carteira do ISE vigorou entre 04 de janeiro de 2016 a 29 de dezembro de 2016. A carteira reuniu 38 ações de 34 companhias, que representavam 16 setores e somavam R$ 960,52 bilhões em valor de mercado, o equivalente a 54,50% do total do valor das companhias com ações negociadas na Bolsa (em 24/11/2015).

Fizeram parte da carteira*:

AES Tietê, Cemig, Eletrobrás, Itausa, Cesp, B2W Digital, Cielo, Eletropaulo, Itau Unibanco, Santander, Banco do Brasil, Embraer, SulAmerica, Copel, Even, Klabin S/A, Telef Brasil (Telefônica), Bradesco, CPFL Energia, Fibria, Light S/A, Tim Part S/A, Braskem, Duratex, Fleury, Lojas Americ (Lojas Americanas), Engie Brasil Energia**, BRF SA, Ecorodovias, Lojas Renner, CCR SA, Energias BR (EDP), Natura e Weg.

*Em 21/06/2016, a OI entrou em situação especial, deixando de fazer parte da carteira do ISE em 22/06/2016.

**Em julho de 2016 a companhia Tractebel Energia alterou seu nome para Engie Brasil Energia

Empresas que abriram suas respostas. Acesse aqui as respostas das empresas.

 

2014/2015

A décima carteira do ISE vigorou entre 05 de janeiro de 2015 a 02 de janeiro de 2016. A carteira reúniu 51 ações de 40 companhias, que representaram 19 setores e somaram R$ 1,22 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 49,87% do total do valor das companhias com ações negociadas na B3 (em 24/11/2014).

Das 40 empresas selecionadas, quatro era novas: JSL, B2W DIGITAL, LOJAS AMERICANAS e LOJAS RENNER, as três últimas responsáveis pelo ingresso do setor "Comércio" ao ISE. O aumento no número de setores ampliou a atratividade para o investidor, pela maior diversificação, e também demonstrou que o movimento de Sustentabilidade ganha maturidade ao estender o seu alcance setorial.

Fizeram parte da carteira:

AES Tietê*, Cemig*, Eletrobrás*, Itausa*, Sabesp, B2W Digital*, Cielo*, Eletropaulo*, Itau Unibanco*, Santander*, Banco do Brasil*, Coelce*, Embraer, JSL*, SulAmerica*, BicBanco*, Copel*, Even*, Klabin S/A*, Telef Brasil (Telefônica), Bradesco*, CPFL Energia*, Fibria*, Light S/A*, Tim Part S/A, Braskem*, Duratex*, Fleury*, Lojas Americ (Lojas Americanas) *, Tractebel*, BRF SA*, Ecorodovias*, Gerdau, Lojas Renner*, Vale*, CCR SA*, Energias BR (EDP) *, Gerdau Met, Natura* e Weg*.

*Empresas que abriram suas respostas. Acesse aqui as respostas das empresas.

 

2013/2014

A nona carteira do ISE foi anunciada no dia 28 de novembro de 2013 e vigorou de 06 de janeiro de 2014 a 02 de janeiro de 2015. A carteira reuniu 51 ações de 40 companhias, que representavam 18 setores, somando R$ 1,14 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 47,16% do total do valor das companhias com ações negociadas na Bolsa (em 26/11/2013). Das 37 empresas da carteira 2013, 36 foram selecionadas também para a nova carteira. E quatro companhias ingressaram: Cielo, Embraer, Fleury e Klabin, trazendo para o ISE três novos setores: Serviços Financeiros Diversos; Material de Transporte; e Serviços Médicos, Hospitalares, Análises e Diagnósticos. Foram convidadas para participar da carteira as 183 companhias que detinham as 200 ações mais líquidas da Bolsa em dezembro de 2012. Destas, 45 empresas se inscreveram para participar do processo concorrendo ao ingresso na carteira e 04 na qualidade de treineiras, buscando se preparar para os próximos anos. 

Compuseram a carteira 2014: 

AES Tietê*, Banco do Brasil*, BicBanco*, Bradesco, Braskem, BRF, CCR*, Cemig*, Cesp, Cielo*, Coelce*, Copasa*, Copel*, CPFL, Duratex*, Ecorodovias, EDP*, Eletrobrás*, Eletropaulo*, Embraer, Even*, Fibria, Fleury, Gerdau, Itaú-Unibanco*, Itausa*, Klabin*, Light*, MET Gerdau, Natura*, OI, Sabesp, Santander, SulAmerica*, Suzano, Telefonica, TIM, Tractebel, Vale* e WEG*

 

2012/2013

A oitava carteira do ISE, que vigorou de 07 de janeiro de 2013 a 03 de janeiro de 2014, reuniu 51 ações de 37 companhias. Elas representaram 16 setores e somaram pouco mais de R$1 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 44,81% do total do valor das companhias com ações negociadas na B3 (em 29/11/2012). Das 38 empresas da carteira anterior, 35 foram selecionadas também para esta. E duas companhias ingressaram: Telefonica e WEG, trazendo para o ISE o setor de máquinas, equipamentos e motores. O foco na transparência foi intensificado este ano. Além do aumento de 8 para 14 empresas divulgando suas respostas para o questionário base do ISE, o processo de seleção para a carteira 2013 foi auditado pela KPMG. 

Compõem a carteira 2013: 

AES Tiete*, Banco do Brasil*, Bicbanco*, Bradesco, Braskem, BRF Brasil Foods, CCR*, Cemig*, Cesp, Copel, Coelce*, Copasa, CPFL Energia, Duratex, Energias do Brasil*, Ecorodovias, Eletrobrás*, Eletropaulo*, Even, Fibria, Gerdau, Gerdau Met, Itausa, Itau Unibanco, Light S/A*, Natura*, Sabesp, Santander, SulAmérica*, Suzano Papel, Telefonica, Telemar, Tim Part S/A, Tractebel, Ultrapar, Vale* e WEG*

 

2011/2012

A sétima carteira do ISE, vigorou de 02 de janeiro a 31 de dezembro de 2012, reuniu 51 ações de 38 companhias. Elas representavam 18 setores e somavam R$961 bilhões em valor de mercado, o equivalente a 43,72% do total do valor das companhias com ações negociadas na Bolsa (em 23/11/2011). Das 37 empresas da carteira anterior, 36 foram selecionadas também para esta. E duas companhias ingressaram: CCR e Ecorodovias, trazendo para o ISE o setor de transportes. Com 38 companhias, a carteira ficou próxima do limite máximo, que é de 40 empresas.

Compuseram a carteira 2012: 

AES Tiete*, Anhanguera, Banco do Brasil*, Bicbanco*, Bradesco, Braskem, BRF Brasil Foods, CCR*, Cemig, Cesp, Copel, Coelce*, Copasa, CPFL Energia, Duratex, Energias do Brasil*, Ecorodovias, Eletrobrás, Eletropaulo*, Embraer, Even, Fibria, Gerdau, Gerdau Met, Itausa, Itau Unibanco, Light S/A, Natura*, Redecard, Sabesp, Santander, SulAmérica, Suzano Papel, Telemar, Tim Part S/A, Tractebel, Ultrapar e Vale

 

2010/2011

A carteira entrou em vigor em 3 de janeiro de 2011, reunindo 47 ações de 38 companhias que representaram 18 setores e somaram R$ 1,17 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 46,1% do valor de mercado total das companhias com ações negociadas na B3 (em 24/11/2010). Com vigência até 29 de dezembro de 2011, a carteira apresentou três novos setores: serviços educacionais, holding diversificadas e mineração. 

Compuseram a carteira 2011:

AES Tietê, Anhanguera, Bicbanco, Bradesco, Brasil, Braskem, BRF Foods, Cemig, Cesp, Coelce, Copasa, Copel, CPFL Energia, Duratex, Eletrobrás, Eletropaulo, Embraer, Energias BR, Even, Fibria, Gerdau, Gerdau Met, Inds Romi, Itau SA, Itau Unibanco, Light S/A, Natura, Redecard, Sabesp, Santander, Sul América, Suzano Papel, Telemar, Tim Part S/A, Tractebel, Ultrapar, Vale e Vivo.

 

2009/2010

Entrou em vigor em 1 de dezembro de 2009 e permaneceu vigente até o fim de 2010. Reuniu 43 ações de 34 companhias, representando 15 setores e somando R$730 bilhões em valor de mercado - o equivalente a 32,21% do valor de mercado total das companhias com ações negociadas na Bolsa (em 24/11/2009). Três setores estrearam na carteira: construção civil, seguros e máquinas e equipamentos, um sinal de menor concentração setorial do indicador, graças a mudanças na metodologia.

Compuseram a carteira 2010:

AES Tietê, Bradesco, Brasil, Braskem, BRF Foods, Cemig, Cesp, Coelce, Copel, CPFL Energia, Dasa, Duratex, Eletrobrás, Eletropaulo, Embraer, Energias BR, Even, Fibria, Gerdau, Gerdau Met, Inds Romi, Itau S/A, Itau Unibanco, Light S/A, Natura, Redecard, Sabesp, Sul América, Suzano Papel, Telemar, Tim Part S/A, Tractebel, Usiminas e Vivo.

 

2008/2009

Teve como base a avaliação de empresas selecionadas dentre as 51 que responderam ao questionário desenvolvido pelo GVces, enviado às 137 companhias emissoras das 150 ações mais líquidas da B3. Em 1º de dezembro de 2008 entrou em vigor a carteira, contando com o ingresso dos ativos da Celesc, Duratex, Odontoprev, TIM, Telemar e Unibanco, enquanto Aracruz, CCR Rodovias, Copel, Iochpe-Maxion, Petrobras e WEG deixaram de participar do Índice. A carteira vigente até o dia 30 de novembro de 2009, contou com 38 ativos de 30 companhias de 12 setores que totalizaram R$372 bilhões em valor de mercado. Esse montante correspondia a 30,7% da capitalização total das 394 empresas com ações negociadas na Bolsa (R$ 1,21 trilhão, em 21/11/2009). 

A carteira 2008/2009 foi composta por ações das seguintes empresas:

AES Tiete, Banco do Brasil, Bradesco, Braskem, Celesc, Cemig, Cesp, Coelce, CPFL Energia, DASA, Duratex, Eletrobrás, Eletropaulo, Embraer, Energias do Brasil (EDP), Gerdau, Metalúrgica Gerdau, Itaubanco, Light; Natura, Odontoprev, Perdigão, Sabesp, Sadia, Suzano Papel, Telemar, TIM Participações, Tractebel, Unibanco e VCP.

 

2007/2008

A composição dessa carteira foi marcada por um processo prévio de aprimoramento do questionário do ISE, a partir de contribuições de especialistas e de uma consulta pública. A carteira contou com 40 ações emitidas por 32 empresas de 13 setores totalizando, naquela época, R$927 bilhões em valor de mercado. Esse montante correspondia a 39,6% da capitalização total da Bolsa, que em dezembro de 2007 era de R$ 2,3 trilhões. As participantes foram selecionadas a partir de um grupo de 62 empresas que responderam ao questionário-base 2007, enviado às 137 companhias emissoras das 150 ações mais líquidas da bolsa. 

A carteira de 2007/2008 era composta pelas seguintes empresas:

AES Tietê, Acesita, Aracruz, Bradesco, Banco do Brasil, Braskem, CCR Rodovias, Cemig, Cesp, Coelce, Copel, CPFL Energia, DASA, Eletrobrás, Eletropaulo, Embraer, Energias do Brasil (EDP), Gerdau, Metalúrgica Gerdau, Iochpe-Maxion, Itaubanco, Light, Natura, Perdigão, Petrobrás, Sabesp, Sadia, Suzano Papel, Suzano Petroquímica, Tractebel, VCP e WEG.

 

2006/2007

A carteira teórica do ISE 2006 vigorou de 1º de dezembro de 2006 à 30 de novembro de 2007, contando com 42 ações de 33 companhias e 14 setores, totalizando R$ 996 bilhões em valor de mercado (42,6% do total da bolsa em 1º de dezembro de 2006).

Fizeram parte da carteira de 2006:

Acesita, All América Latina, Aracruz, Arcelor BR, Bradesco, Banco do Brasil, Braskem, CCR Rodovias, Celesc, Cemig, Coelce, Copel, CPFL Energia, Dasa, Eletropaulo, Embraer, Energias do Brasil (EDP), Gerdau, Metalúrgica Gerdau, Gol, Iochpe-Maxion, Itaubanco, Itausa, Localiza, Natura, Perdigão, Petrobrás, Suzano Papel, Suzano PETR, TAM, Tractebel, Ultrapar, Unibanco e VCP.

 

2005/2006

A carteira teórica do ISE 2005 vigorou de 1º de dezembro de 2005 à 30 de novembro de 2006.

Fizeram parte as seguintes empresas:

ALL America Latina, Aracruz, Belgo Mineira, Bradesco, Banco do Brasil, Braskem, CCR Rodovias, Celesc, Cemig, Cesp, Copel, Copesul, CPFL Energia, DASA, Eletrobrás, Eletropaulo, Embraer, Gol, Iochpe-Maxion, Itaubanco, Itausa, Natura, Perdigão, Suzano Papel, Tractebel, Unibanco, VCP e WEG.